Aviação Geral – Patrimônio Nacional

Web

Notícias

11 October, 2017

 

Airbus estuda sistema autônomo de pouso de helicópteros

Projeto Eagle deve aumentar as capacidades de segurança e automação de aeronaves com asas rotativas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Airbus Helicopters trabalha no desenvolvimento de um sistema capaz de realizar aproximações automáticas e pousar em condições adversas, que deve permitir no futuro aplicações "sense & avoid" (perceber e evitar) em sistemas para autônomos de decolagem e aterrisagem verticais.

 

Chamdo de Eagle (Eye for Autonomous Guidance and Landing Extension) o sistema reúne todas as funções de processamento de imagem do helicóptero transmitindo para os aviônicos, aumentando a percepção situacional dos pilotos e reduzindo a carga de trabalho.

 

De acordo com a Airbus Helicopters, os testes terrestres do Eagle estão em curso desde maio deste ano e os testes iniciais de voo em um helicóptero de testes começarão em breve. A expectativa é que o sistema possa no futuro ser incorporado numa ampla variedade de helicópteros e veículos VTOL.

 

As versões futuras do Eagle também integrarão um sistema laser que, combinado com a alta capacidade de processamento pode permitir seu uso como farol de busca, detecção de obstáculos, e reconstrução do terreno em 3D.

Fonte: Aeromagazine

>

11 October, 2017

 

Embraer Introduces Revolutionary Phenom 300E at NCAA-BACE

The E stands for “Enhanced,” but it could just as well mean “Everything.”

With the NBAA’s 2017 Business Aviation Conference and Exhibition set to begin on Tuesday, Embraer Executive Jets unveiled the Phenom 300E, the next step in the evolution of its best-selling light bizjet. The original Phenom 300 was introduced to the market in 2009, and since 2013 Embraer has delivered more than 400 aircraft to more than 40 countries. Now, the Brazilian manufacturer hopes the E, which stands for “Enhanced,” will follow in its footsteps, and then some.

 

“We are very excited to introduce the Phenom 300E which sets a new standard in value and customer experience. The Phenom 300E reflects our commitment to fascinate our customers,” said Michael Amalfitano, President and CEO, Embraer Executive Jets. “With a passion for excellence, our team has been working closely with customers to bring to market yet another beautifully designed and brilliantly engineered marvel of aviation.”

 

Two weeks ago, at Embraer’s facility in Melbourne, Florida, Amalfitano gathered his executive team to give Flying an inside look at the development and production of the 300E. Perhaps most excited about the unveiling of this new jet was Jay Beever, Embraer’s VP of Interior Design, who eagerly showed us the cutting edge technological improvements, as well as the stylish look and feel of the passenger seats.

 

The 300E has been gifted with the Embraer DNA Design, which was first incorporated in the Legacy 450 and 500 midsize jets, and it’s evident from the moment you enter the cabin that this light jet was built to please. In addition to stunning personalized designs, the seats are broader and come with extendable head and feet rests for ultimate comfort. But it was the simplest idea that somehow drew the most praise: a retractable armrest built into the seat. Many business travelers will be pleased when they’re not suddenly stopped in their tracks by a bag strap caught on a traditional armrest.

 

As far as the tech, the 300E’s “industry-exclusive upper technology panel” offers control of everything from the lighting system’s “ambient mood selections” to flight information with the touch of a finger. Two seven-inch displays swing down from the ceiling to offer in-flight entertainment, or passengers can simply use their Bluetooth devices.

 

Powered by two Pratt & Whitney Canada PW535E engines, the Phenom 300E has a high-speed cruise of 453 knots, with a 6-passenger range of 1,971 nm. Depending on customizations, the 300E will cost around $10 million.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Embraer 1 of 4

 

The Phenom 300E's seats are so incredibly detailed in their assembly and design that they somehow make the setting seem even more exclusive. Everything from the folding tables to the retractable armrests make sitting in the 300E an unparalleled luxury.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Embraer 2 of 4

 

It was difficult not to admire the sleek design of every aspect of the 300E. The attention to detail is remarkable, and yet the most astounding part is the simplicity. All it takes to open and close the side compartment is the flick of a finger.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Embraer 3 of 4

 

We didn't notice the screens on the ceiling until VP of Interior Design Jay Beever flipped them down. Even the air flow could be managed by the touch of a finger to controls reminiscent of an iPod.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Embraer 4 of 4

 

The 300E is powered by two Pratt & Whitney Canada PW535E engines, with a high-speed cruise of 453 knots and a six-passenger range of 1,971 nm. But, believe us, you'll want the trip to be much longer.

Fonte: Flying - Ashley Burns

11 Outubro, 2017

 

Textron Aviation anuncia a entrega da 100ª unidade do Cessna Citation Latitude

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Textron Aviation, detentora da marca Cessna, a quem representamos com exclusividade no Brasil, anunciou durante a NBAA que está em processo de entrega da 100ª unidade do Citation Latitude, apenas 2 anos após a primeira aeronave ter entrado em operação - um marco para o setor e que confirma o sucesso do jato que chegou com a missão de redefinir a categoria.

 

Sucesso absoluto, o Citation Latitude não para de registrar grandes números: é o Jato de médio porte mais entregue no mundo em 2016, com 42 unidades chegando ao mercado; já está certificado em 39 países, incluindo o Brasil; sua frota global já acumula mais de 45 mil horas de voo; e agora, o modelo chega ao seu 100º proprietário satisfeito.

 

Conheça alguns diferenciais do modelo:

 

MAIS ESPAÇO PARA VOCE E PARA A SUA BAGAGEM

11% mais espaço entre bancos e o maior bagageiro da categoria

 

MAIS ECONOMIA

Custo operacional até 20% menor que outros modelos similares

 

MAIS CONFORTO

O piso totalmente plano, o toalete mais espaçoso da categoria, dentre outros diferenciais, tornam o nível de conforto imbatível a bordo desta supermáquina.

 

Fonte: Facebook TAM Aviação Executiva

11 Outubro, 2017

 

Embraer entrega 25 jatos comerciais e 20 executivos no 3º trimestre de 2017

São Paulo - SP, 10 de outubro de 2017 – A Embraer (NYSE: ERJ; BM&FBOVESPA: EMBR3) entregou 25 jatos para o mercado de aviação comercial e 20 unidades para o segmento de aviação executiva ao longo do terceiro trimestre de 2017 (3T17), sendo 13 jatos leves e sete jatos grandes. Em 30 de setembro, a carteira de pedidos firmes a entregar (backlog) totalizava USD 18,8 bilhões, acima dos USD 18,5 bilhões do trimestre anterior.

Clique abaixo para saber os detalhes:

https://daflwcl3bnxyt.cloudfront.net/m/3cb1b8c91bfa07ae/original/Microsoft-Word-1800594-docx.pdf

Fonte: Embraer Notícias

7 October, 2017

 

Airbus’ flying electric taxi is on track to soar next year

Vertical takeoff and landing (VTOL) vehicles are really taking off, and Airbus is set to launch a VTOL taxi by next year. The multi-passenger CityAirbus is powered by electric motors – and it’s designed to one day operate autonomously. The CityAirbus could allow commuters to escape traffic by turning to an affordable, environmentally friendly new mode of travel.

 

The CityAirbus boasts what Airbus describes as a four-ducted propeller configuration, which boosts safety and helps yield a low acoustic footprint. 100 kilowatt electric Siemens motors and four batteries help the CityAirbus get from point A to point B.

 

As many as four people will be able to ride in a CityAirbus, which will cruise at a speed of 120 kilometers per hour, or around 75 miles per hour, along fixed routes. In the beginning a pilot will fly the VTOL, but Airbus plans for the vehicle to one day pilot itself.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Airbus said there are benefits to adding a third dimension of travel to urban transportation, such as opening up accessibility for underserved or remote areas of a city. Self-piloted vehicles in particular can operate around three times faster than a typical road vehicle, and are energy efficient, running off electricity. Airbus said their VTOL method of travel will be quick and affordable.

 

Airbus announced they just finished their first full-scale testing for the CityAirbus’ propulsion system, describing the testing phase as successful. This means they’re on track for their first flight, scheduled for the end of next year.

 

CityAirbus chief engineer Marius Bebesel said in a statement, “We now have a better understanding of the performance of CityAirbus’ innovative electric propulsion system, which we will continue to mature through rigorous testing while beginning the assembly of the full-scale CityAirbus flight demonstrator.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Airbus’ flying electric taxi is on track to soar next year.

Fonte: INHABITAT by Lacy Cooke

Images via Airbus (1,2)

6 October, 2017

 

Flying Aboard the Bombardier Challenger 650 Business Jet

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AIN Senior Editor Curt Epstein takes a trip from Teterboro Airport to visit Bombardier at its Montreal headquarters. For the flight to Canada, Bombardier dispatched one of its Challenger 650s, the latest addition to the venerable Challenger 600 series, and until the certification of the Global 7000, still the newest bizjet in the Bombardier fleet. Launched at NBAA’s annual convention in 2014, the twinjet entered service a year later.

https://www.ainonline.com/aviation-news/video/flying-aboard-bombardier-challenger-650-business-jet

Fonte:  AINonline

03 October, 2017

 

Embraer delivers first US-assembled Legacy 500

Embraer has delivered the first Legacy 500 midsize business jet to have been assembled at its Melbourne, Florida campus. The 27 September handover to an undisclosed US customer completes the Brazilian airframer’s efforts to establish a final assembly plant in the world’s largest business jet market.

 

The Melbourne plant was opened in May 2011 to house assembly of the Phenom 100 and 300 entry-level and light business jets. It is now the sole manufacturing facility for the pair, having produced more than 250 of the 800 examples delivered by Embraer to date.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

The site was expanded in May 2016 to accommodate the Legacy 500 and its smaller stablemate, the Legacy 450. The first superlight-twin rolled off the production line in December 2016, and a second unit was handed over earlier this year.

 

The Legacy pair also continue to be assembled at Embraer’s headquarters in São José dos Campos, along with the large-cabin Legacy 650 and Lineage 1000E VIP airliner.

The 46,400m² (500,000ft²) Melbourne campus also houses a completion and interior design centre, as well as a separate engineering complex.

Fonte: Flight International - Kate Sarsfield

October 2, 2017

 

Bombardier Adds Fourth Global 7000 Flight-test Program

The flight of the fourth aircraft on September 28 occurred less than a year after the flight-test program kicked off with the Nov. 4, 2016, flight of FTV1. FTV2 joined the program on March 4, followed by FTV3 on May 10.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bombardier’s Global 7000 flight-test program has expanded to four aircraft with the first flight of FTV4 on Thursday. The flight of the fourth aircraft occurred less than a year after the flight-test program kicked off with the Nov. 4, 2016, flight of flight-test vehicle 1 (FTV1). FTV2 joined the program on March 4, followed by FTV3 on May 10.

 

The fleet has remained busy, with the program aircraft accruing 500 hours by early July, and on the day FTV 4 took to the skies, so too did the other three flight-test vehicles. In all, Bombardier plans to use a total of five flying test aircraft in the program. As of last summer, FTV 5 was making its way through final assembly.

 

The first three flight-test vehicles have been probing the flight envelope and basic handling, engines and avionics/electrical systems. In addition to continued certification testing, FTV4 and FTV5 are scheduled for interior cabin testing. Bombardier is calling the fifth FTV the “masterpiece…that will complete entry-into-service validations.”

 

The Global 7000, which will be Bombardier’s flagship business jet with a 7,400-nm range, Mach 0.925 speed and a four-zone interior, is scheduled for certification in the second half of 2018.

(Photo: Bombardier Aerospace)

Fonte: AINonline - Kerry Lynch

October 3, 2017

 

Satcom Direct develops compact router for light business aircraft

Aeronautical communications provider Satcom Direct (SD) has developed a compact router, in response to growing demand from owners and operators of small business aircraft for a lightweight system providing full internet connectivity and improved data speeds during flight.

 

The system, dubbed the LTE Hub, has already secured US certification and will be officially unveiled on 10 October at the National Business Aviation Association convention in Las Vegas, Nevada.

 

The router is the smallest on the market, says SD, measuring 17 x 14.7 x 2.5cm (6.7 x 5.8 x 1in) and weighing just 730g (1.6lb). Despite its size, the hub supports the latest cellular, satellite and wi-fi technology, providing data transfer rates of up to 867 Mbps in the cabin, it adds.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Photo Satcom Direct

 

It is compatible with Ku-, Ka- and L-band satellite networks.

 

SD director of hardware Jason Sperry says the LTE Hub brings “the office-in-the-sky concept” to the lower end of the fixed-wing and helicopter market, where previously the only options were larger, heavy systems that may not have provided the complete suite of on-ground, in-air and in-cabin connectivity. “We know operators and private owners of the smaller cabins want access to the same connectivity options as the large jets, and anticipate this will fill a growing need in the market,” he says.

 

Until now, SD's router family – which includes the SDR and SDR Gateway – has predominantly provided connectivity for midsize to large-cabin business jets.

Fonte: Flight International - Kate Sarsfield

October 2, 2017

 

Turboprop Single Ops Could Boom in Europe

Reflecting on EASA’s March 1 rule allowing operators to provide commercial single-engine turboprop (SET) operations in instrument meteorological conditions (IMC), those attending the SETOps2017 conference at the Royal Aeronautical Society in London on Friday pondered whether single-engine turboprops will stimulate a new era of growth for business aviation in Europe; or if it's just hype. While activity has increased sharply from a low base so far this year, it remains to be seen whether widespread SET operations will evolve in Europe. However, one thing the conference did agree on is that new business models offered by the likes of Wheels Up and Surf Air will help to stimulate the market.

 

Opening this year’s event, conference chair James Dillon-Godfray, business development director at London Oxford Airport, said, “We had to wait 20 years for EASA to sanction the use of single-engine turboprops in IMC. We’re way behind the curve here in Europe.” He noted that some operators, such as Hendell Aviation, had already started commercial SET operations before the rule, using exemptions. He also noted that turboprop singles would be able to operate to “three times [as many] airports” as current turboprop twins, “potentially adding 1,000 new routes [across Europe].”

 

Small airfields, especially those that offer GPS/LPV 200 approaches “equivalent to CAT I,” represent “one of the keys,” Dillon-Godfray said. Among the provisions in the new SET rule are a requirement for pilots to have 100 hours of pilot-in-command experience in IMC for single-pilot operations, in-depth engine trend monitoring and strict flight-planning requirements, such as having “safe landing sites within 15 minutes' gliding time all along a route.” Currently, he noted, three models have been approved for SET-IMC: the TBM 900 series, Cessna Caravan and Pilatus PC-12, but it’s likely that the Quest Kodiak and in-development Cessna Denali will be added in the not-too-distant future.

 

Richard Koe of WingX noted that, while SET activity is “growing fast,” so far only 7 percent is commercial/AOC, while the rest is private. The total turboprop single fleet currently numbers approximately 330 aircraft in Europe—the PC-12 being most active and fast-growing, with flights up 92 percent compared with the same point last year. Overall the number of commercial SET flights has increased by 72 percent from a year ago, he added.

 

Adam Twidell, founder and CEO of online broker PrivateFly, is predicting that “customers will be predominantly new customers to business aviation,” but warned about non-AOC aircraft doing “gray” (i.e. illegal) charter flight, undercutting legitimate commercial operations.

 

A “trailblazers” session featured speakers from Hendell Aviation, Voldirect and Jet Fly, which are already conducting commercial SET operations in Europe. Frederic Caussarieu, president of French operator Voldirect, said, “We were the first SET operator in Europe…now people realize that turboprops can be fast, efficient—with less carbon dioxide emissions—so it is the future. Customers also realize we can use shorter airstrips, which get them closer to their destination. [SETs also offer] more value for money.”

 

Mikael Lees, CEO of Hendell Aviation, said, “Right now recruitment is an issue as [SETs/SET operators] are not the most glamorous aircraft…for pilots.” He added that it is “also a challenge to find pilots with the right experience” and that “there are no approved simulators available in Europe.”

AINonline -  Ian Sheppard

1 October, 2017

 

Jatinho mais barato do mundo tem só um motor e paraquedas de emergência

O jatinho executivo mais barato do mundo, o Cirrus SF50 Vision Jet, começa a ser vendido no Brasil.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com preço de venda a partir de US$ 1,9 milhão (R$ 6 milhões), o modelo custa menos da metade do jato mais barato da Embraer, o Phenon 100, avaliado em US$ 4,5 milhões (R$ 14,2 milhões).

 

Segundo a Plane Aviation, representante da Cirrus no Brasil, o Vision Jet já tem 600 encomendas em todo o mundo, sendo que o Brasil representa 10% das vendas. A expectativa da empresa é de que os primeiros aviões sejam entregues no país a partir do próximo ano.

 

A Cirrus, no entanto, ainda aguarda a certificação do modelo no Brasil pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Nos Estados Unidos, onde o modelo é fabricado, o Cirrus SF50 Vision Jet recebeu a certificação da FAA, autoridade norte-americana de aviação, no final do ano passado.

 

Monomotor e com paraquedas de emergência

O primeiro jato monomotor tem como foco principal os donos de avião que também são pilotos. “É um jato projetado para ser pilotado pelo proprietário, sem a necessidade de um piloto profissional em tempo integral”, afirma a empresa. Nos Estados Unidos, o avião já foi certificado para ter apenas um piloto a bordo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O único motor do avião está instalado em cima da cabine de passageiros. Por conta disso, o jato ganhou uma cauda em V, o que deixa seu design mais curioso. Em caso de falha do motor e sem um local adequado para o pouso, o piloto pode acionar o sistema de emergência que abre um paraquedas para o avião.

 

É um esquema para o avião, e não para os passageiros. Ou seja, o paraquedas segura a aeronave, fazendo com que ela pouse mais lentamente numa situação de emergência.

 

Esse sistema está presente em todos os aviões fabricados pela Cirrus. Os modelos SR 20 e SR 22 também são monomotores, mas utilizam um motor a pistão com hélice na frente do avião. Segundo a Cirrus, o sistema de paraquedas de emergência já salvou mais de 100 vidas.

 

O SF50 Vision Jet voa a 550 km/h, com autonomia para alcançar até 1.800 km de distância, a uma altitude máxima de 8.500 metros em relação ao nível do mar. O avião tem 9,4 metros de comprimento, 11,7 metros de envergadura (distância entre as pontas das asas) e 3,2 metros de altura.

 

Na área interna, o jatinho pode ser configurado para transportar até sete pessoas, sendo cinco adultos e duas crianças. São dois assentos na cabine de comando e os demais na área de passageiros. Todas as poltronas são revestidas em couro e contam com entradas USB e para fones de ouvido.

 

Na cabine de piloto, todos os equipamentos são digitais. O piloto pode acessar todas as informações do voo e os parâmetros de funcionamento do avião em telas sensíveis ao toque. No lugar do manche tradicional, a Cirrus optou pelo sidestick (semelhante ao joysitick de videogame). É o mesmo padrão utilizado nos mais modernos jatos executivos da Embraer ou nos grandes aviões da Airbus.

 

Depois da primeira passagem pelo Brasil, a Plane Aviation pretende manter um exemplar do Cirrus SF50 Vision Jet de forma permanente no país a partir de dezembro deste ano para servir de demonstração a potenciais clientes.

Fonte: Todos a Bordo

Vídeo relativo a matéria acima:

Veja em profundidade todos os detalhes do Vision Jet no vídeo produzido pela ANWeb: Cirrus VisionJet Flight Trial

Cirrus has begun shipping its long-awaited SF50 VisionJet and AVweb recently flew the jet from the company's Duluth, Minnesota, factory to the East Coast. In this long-form video, AVweb takes a deep dive into how the airplane performs and how it compares to other small jets.

https://youtu.be/lten6GjGNiE

Fonte: AVweb - Paul Bertorelli

30 de setembro/2017

 

Companhia aéreas terão redução no ICMS em MT

O Governo de Mato Grosso avança na iniciativa de melhorar a infraestrutura do setor aeroviário do Estado.

 

O assunto foi discutido no “1º Workshop de Aeroportos e Aeródromos Regionais de Mato Grosso”, que ocorreu nesta sexta-feira (29.09), no Palácio Paiaguás, em Cuiabá. O encontro teve como objetivo abordar temas relacionados à gestão de aeroportos, planos aeroportuários, infraestrutura, concessões, Voe MT, entre outros assuntos da área.

 

Realizado pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), em parceria com a MT Parcerias S.A (MT PAR), uma sociedade de economia mista criada pelo Governo do Estado para promover Parcerias Público Privadas (PPPs) e Concessões, o evento contou com a presença do governador Pedro Taques e representantes da Secretaria de Aviação Civil (SAC) e Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

 

O governador Pedro Taques frisou a importância das Parcerias Públicos Privadas (PPP) para o desenvolvimento e estruturação do setor. Recentemente, o Governo Federal deflagrou os primeiros procedimentos para a concessão à iniciativa privada dos cinco aeroportos que estão incluídos no Programa de Parceria de Investimentos (PPI).

 

“O Estado não tem condições de investir em aeroportos, mas temos um projeto de parcerias, por isso o MT Par está junto conosco no sentido de trazer a iniciativa privada através de concessões e PPPs. Eu apresentei o projeto Voe MT que traz a possibilidade de isenção do combustível de aviação para voos regionais e isto tem possibilitado o incremento dos voos regionais no nosso estado”, disse o governador Pedro Taques.

 

Na oportunidade, Taques citou a importância do programa Voe MT que incentiva a aviação regional. As companhias aéreas que abrirem vôos no estado podem obter redução da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para compra de querosene de aviação por meio do programa Voe MT, criado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec).

 

O secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo Duarte, citou a importância de discutir a questão aeroviária. De acordo com ele, o setor precisa de mais investimentos e o desenvolvimento dele impactará diretamente na economia do Estado. Duarte destacou a inclusão de cinco aeroportos de Mato Grosso no lote de concessões.

 

“Estamos bem encaminhados na questão rodoviária e até na ferroviária, na esfera aeroviária tem muita coisa ainda para ser feito. Trabalhamos muito em Brasília nestes dois anos e conseguimos que fossem incluídos no programa federal de concessões cinco aeroportos de Mato Grosso, no caso o único do Brasil. Nem um Estado teve tantos aeroportos contemplados como o nosso e isso com certeza foi uma grande conquista”, pontuou o secretário da Sinfra.

 

O Aeroporto Internacional Marechal Rondon, localizado em Várzea Grande, e os aeroportos de Sinop, Alta Floresta, Barra do Garças e Rondonópolis serão concessionados. A iniciativa busca melhorar a infraestrutura das unidades a partir de investimentos de recursos privados. Mato Grosso será o único estado brasileiro a ter um bloco de concessões próprio.

 

O leilão em bloco dos aeroportos de Mato Grosso foi proposto pelo governador Pedro Taques e aceito pelo Ministérios dos Transportes, Portos e Aviação Civil. A estratégia de repassar à iniciativa privada a administração dos aeroportos, por período determinado, busca melhorar a infraestrutura destes aeroportos, além de melhorar o caixa da União e estimular a economia.

 

Segundo a diretora presidente da MT Parcerias (MT PAR), Maria Stella Conselvan, frisou que a a empresa que gerir o aeroporto Marechal Rondon, deverá converter o valor da outorga em investimentos a serem destinados para melhoria da estrutura dos quatro regionais. “Os outros quatros aeroportos regionais não tem estrutura e viabilidade para funcionar se não tiver apoio, então a outorga do Marechal Rondon pelos estudos preliminares que irá financiar e apoiar os investimentos nestes aeroportos”.

 

O governo trabalha com a previsão de conceder os aeroportos mato-grossenses no segundo semestre de 2018. Com as concessões em todo o país, o governo espera investimentos privados na ordem dos R$ 44 bilhões.

 

“Estamos trabalhando nas concessões dos aeroportos onde serão realizados investimentos, melhorias dos serviços prestados aos usuários e após este período ele retorna ao poder público, que poderá operar diretamente ou fazer uma nova licitação. A princípio nós trabalhamos as concessões por 30 anos, mas ele pode ser ajustado de acordo com a necessidade do projeto”, comentou o coordenador de políticas regulatórias da SAC, Ricardo Fonseca.

 

Investimento em pequenos aeroportos

O governo federal reduziu o programa de investimentos federais, que previa fazer investimentos em mais de 270 pequenos e médios aeroportos. Apenas 53 aeroportos passaram receber obras de ampliação e modernização.

 

“Este programa foi restruturado, antigamente se falava em um número muito grande de aeroportos e pela realidade orçamentária do país não se concretizou, então desde o ano passado vem ajustando as dimensões do programa e tentando tornar mais efetivo, identificando o que realmente é necessário nos aeroportos para que possamos melhorar aplicação geral de aviação nestas unidades”, explicou o diretor de investimentos de aeroportos regionais da SAC, Eduardo Bernardi.

 

Para estancar a crise econômica, o governo de Mato Grosso vem buscando fazer parceria com as prefeituras para realizar as obras nos aeroportos regionais. “Assinamos um convênio com a Sinfra para que o Governo do Estado entrar com os recursos financeiros necessários em contrapartida a prefeitura entra em execução da obra de reforma do aeroporto para que possamos operar com voos regulares em Cáceres”, comentou o prefeito de Cáceres, Francis Maris.

 

Durante o evento foi assinado um convênio entre o governo do Estado e a prefeitura de Sinop para a construção de uma cerca operacional no valor de R$ 163 mil. “Estamos pleiteando a modernização do nosso terminal, aumentando o tamanho da pista para que possamos receber voos de aeronaves maiores. Como temos um fluxo de pessoas que abrangemos mais de 32 municípios e uma capacidade física muito grande para aumentar então precisamos ampliar nosso aeroporto”, enfatizou a prefeita de Sinop, Rosana Martinelli.

Fonte: Folhamax - Cuiabá

29 de setembro/2017

 

Fraport envia plano de concessão à ANAC

A concessionária do Aeroporto Internacional de Fortaleza - Pinto Martins, Fraport AG, entregou, dentro do prazo estabelecido (até o dia 30 de setembro), o Plano de Transferência Operacional (PTO) à Agência Nacional de Aviação Civil. Segundo fontes ligadas ao setor aéreo, que não quiseram ser identificadas, no PTO estão incluídas basicamente todas as exigências previstas em contrato.

 

Segundo a Anac, o PTO deve estar estruturado da seguinte forma: Plano de Transição da Gestão do Aeroporto; Plano de Transição dos Recursos Humanos; e Plano de Comunicação e Informação ao Público.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Transição

O Plano de Transição da Gestão do Aeroporto deverá propor a composição da Equipe de Transição, que incluirá pessoas a serem alocadas nas áreas chave do Aeroporto, como administração do aeródromo, gerenciamento da segurança operacional, segurança da aviação civil, operações aeroportuárias e manutenção do aeródromo.

 

Ainda de acordo com o contrato de concessão, dentro deste Plano de Transição da Gestão, a concessionária deverá prever o início imediato de ações que permitam melhorar os padrões operacionais, como por exemplo, melhorias das condições dos banheiros e fraldários do Aeroporto; revitalização das sinalizações de informação; disponibilização de internet wi-fi gratuita de alta velocidade em todo o terminal; revisão e melhoria do sistema de iluminação das vias de acesso de veículos aos terminais; revisão dos sistemas de climatização, escadas rolantes, esteiras rolantes, elevadores e esteiras para restituição de bagagens; correção de fissuras, infiltrações, manchas e desgastes na pintura de paredes, pisos e forros do terminal.

 

Etapas da concessão

Após a Anac aprovar o PTO, que deve levar em torno de 20 dias, encerra-se o primeiro estágio da concessão do Pinto Martins e tem início a segunda fase, chamada de operação assistida, com duração de pelo menos 70 dias. Neste segundo estágio, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) prossegue operando o Aeroporto de Fortaleza, mas com a condução da Fraport.

 

Neste caso, a concessionária alemã coordenará o Comitê de Transição com a colaboração dos principais agentes do Aeroporto. Nos estágios 1 e 2 da gestão compartilhada, as receitas e as despesas do Pinto Martins permanecem com a Estatal.

Segundo o contrato de concessão do Aeroporto, a terceira fase deverá ter início após os 70 dias do estágio 2, bem como a obtenção do Certificado Operacional Provisório adquirido pela concessionária. Esta fase, chamada de operação de transição, deverá ter duração mínima de três meses com possibilidade de prorrogação para até seis meses. Durante este estágio, a Fraport será responsável pela operação do Pinto Martins, assim como as receitas e as despesas. A função da Infraero será o de fornecer apoio demandado pela Fraport.

 

Sob sigilo

A Anac informou que não divulga o Plano enquanto este estiver em análise pela Agência e somente o tornará público quando ele for aprovado pelas autoridades. A Anac pode solicitar ajustes e esclarecimentos que julgar necessários. Procurada, a Fraport não se manifestou sobre o assunto, nem confirmou que o Plano teria sido enviado à Anac.

Fonte: ANAC

27 de setembro/2017

 

Decreto para relicitação de Viracopos sai em duas semanas, anuncia governo

Anúncio foi feito durante audiência pública em Brasília, nesta quinta-feira (28). Regulamentação de lei prevê suspensão dos pagamentos de outorga em caso de devoluções de concessões no transporte

 

O decreto com as regras para relicitações das concessões de aeroportos outros projetos de infraestrutura do transporte está pronto e deve ser assinado pelo presidente da República, Michel Temer (PMDB), em até duas semanas. O anúncio foi feito durante audiência pública na Câmara dos Deputados em Brasília (DF), na manhã desta quinta-feira (28), pelo secretário de Coordenação de Projetos do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI), Tarcísio Gomes de Freitas, ligado à Secretaria-Geral da Presidência da República.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Terminal do Aeroporto de Viracopos, em Campinas

 

A medida vai permitir a escolha de uma nova empresa para administrar o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP). O processo pode demorar até um ano e meio e, neste período, não haverá reajustes extras nas tarifas aeroportuárias, informou o secretário.

 

Segundo Freitas, o decreto vai estipular as regras de transição até que o novo concessionário possa assumir o empreendimento. Entre as novidades previstas nele estará a assinatura de um termo aditivo ao atual contrato e que prevê suspensão dos pagamentos de outorga durante o processo de relicitação. Além disso, ele também vai definir os detalhes operacionais da transição.

 

A audiência da Comissão de Viação e Transportes ocorreu para discutir a situação do terminal no interior de São Paulo. A atual concessionária, Aeroportos Brasil Viracopos, decidiu no dia 28 de julho devolver a concessão ao governo por não conseguir pagar os valores da outorga.

 

O secretário negou a possibilidade de modificar o valor atual da outorga, de R$ 3,8 bilhões, ou renegociar prazos de pagamento estabelecidos na licitação vencida pela operadora de Viracopos. De acordo com Freitas, uma solução pode ser a atual concessionária encontrar novos sócios que possam injetar mais capital e evitar a relicitação do aeroporto.

 

O secretário explicou também que o pedido de relicitação apresentado pela Aeroportos Brasil em julho ainda não é válido. De acordo com ele, a empresa manifestou o interesse de devolver o aeroporto, contudo, deixou de apresentar documentos previstos na Lei 13.448/2017.

 

Se os problemas forem corrigidos, explica, o pedido será analisado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e pelo Ministério dos Transportes. Só depois disso o CPPI tomará uma decisão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O secretário explicou também que o pedido de relicitação apresentado pela Aeroportos Brasil em julho ainda não é válido. De acordo com ele, a empresa manifestou o interesse de devolver o aeroporto, contudo, deixou de apresentar documentos previstos na Lei 13.448/2017.

 

Se os problemas forem corrigidos, explica, o pedido será analisado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e pelo Ministério dos Transportes. Só depois disso o CPPI tomará uma decisão.

 

 

“A relicitação não é obrigatória. Isso é uma decisão do poder público. Não é o fato de a concessionária pedir a relicitação que ela obrigatoriamente tem que acontecer”, falou Freitas.

 

Se decisão do CPPI for pela escolha de uma nova concessionária, outro estudo de viabilidade será feito para considerar as atuais condições do mercado da aviação civil e os investimentos já concretizados no aeroporto. “Será um retrato do momento atual”, destacou o coordenador. Durante a audiência, a ABV garantiu que fará entrega de documentos que faltaram no pedido.

 

O deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP) foi o autor do requerimento para realização da audiência pública e anunciou que a Comissão de Viação e Transporte da Câmara acompanhará o processo de relicitação de Viracopos. Entre os objetivos do grupo estão a continuidade dos investimentos na região de Campinas, e evitar a interrupção de serviços durante a transição entre contratos.

 

O diretor do Departamento de Políticas Regulatórias da Secretaria Nacional de Aviação Civil, Rogério Teixeira Coimbra, e o Secretário de Desenvolvimento Econômico de Campinas, André von Zuben, também participaram do debate realizado nesta manhã.

 

Devolução

A Aeroportos Brasil Viracopos (ABV) decidiu, em julho, devolver a concessão por onta das dificuldades financeiras e da frustração da demanda do fluxo de passageiros e de cargas.

 

De acordo com o departamento jurídico da ABV, até que o processo de relicitação seja concluído e um novo gestor assuma Viracopos, a concessionária continuará administrando o aeroporto e só vai sair depois que o novo consórcio pegar a concessão. No entanto, os investimentos previstos serão suspensos.

 

Dívida

Dados obtidos pelo G1 junto ao Serasa, em julho, mostram que Viracopos está com o nome sujo e havia 231 títulos protestados até aquele mês. Segundo a concessionária, desde então uma parte já foi renegociada, enquanto outra continua em tratativas. Os números não foram divulgados.

 

O principal fator que colocou em xeque a permanência da UTC e da Triunfo à frente de Viracopos foi a execução do seguro garantia pela Anac pelo não pagamento da outorga de 2016 (pagamento fixo previsto em contrato, assinado em 2012).

 

O órgão havia dado o prazo até dia 1º de agosto para o recebimento dos R$ 174 milhões referentes ao vencimento de 11 de julho do ano passado - as parcelas fixa e variável de 2017 também estão em atraso.

Fonte: G1 Por Dalton Almeida e Viviane Abreu, EPTV
(Fotos: Aeroportos Brasil Viracopos)

27 de setembro/2017

 

Empresas de Ground Handling, DECEA, concessionária e companhias aéreas implantam o programa de “Aeroporto - Tomada de Decisão Colaborativa” (A-CDM) em Guarulhos nos próximos 3 anos

Iniciativa está sendo liderada pelo DECEA e a Concessionária Administradora do Aeroporto de Guarulhos – GRU Airport e tem como objetivo melhorar o desempenho da gestão do tráfego aéreo. Bem como permitir a melhor previsibilidade de chegadas e partidas nos aeroportos, através de intercâmbio de informações operacionais oportunas e precisas

 

A quarta fase do Projeto A-CDM, sigla em inglês para “Aeroporto – Tomada de Decisão Colaborativa” começará a ser implantada no Aeroporto Internacional de São Paulo,-Guarulhos nos próximos 36 meses, de 2017 a 2020. O objetivo da ação é melhorar o desempenho da gestão da operacionalidade nos aeroportos, por intermédio da troca de informações precisas entre os parceiros participantes do projeto, permitindo uma tomada de decisão assertiva. A iniciativa envolve a administradora do aeroporto, GRU Airport, companhias aéreas e empresas auxiliares, entre outros. E conta como principal apoiador o DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo).

 

A primeira etapa do processo de implantação do projeto começou em dezembro de 2016, com um amplo inventário e atribuição de responsabilidades para o fornecimento e processamento dos dados. Agora, começa a fase de implantação do projeto com a assinatura dos memorandos de intenção entre os parceiros participantes envolvidos.

 

Os conceitos norteadores do Projeto de A-CDM foram construídos pela EUROCONTROL, European Organization for the Safety of Air Navigation e busca, como principal objetivo, melhorar o processo de turnaround das aeronaves (tempo de permanência no solo entre o pouso até a nova decolagem), otimizando, assim, o uso da infraestrutura e dos recursos humanos e financeiros, que envolvem a operação tanto na fase terrestre quanto na aérea. Os benefícios do projeto visam reduzir os atrasos e melhorar a pontualidade, assim como levar ao aperfeiçoamento da aderência aos slots (alocação programada de hora e lugar para uma aeronave decolar ou pousar, autorizado por uma autoridade do aeroporto ou de tráfego aéreo) e à identificação precoce de problemas. O programa traz vantagens ambientais, tais como a redução de CO2 e ruídos na área do terminal e, um dos mais importantes aspectos, a utilização otimizada da infraestrutura aeroportuária.

 

Para Inri Grassi, Diretor Técnico-operacional da ABESATA (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo), trata-se de um momento histórico na aviação civil brasileira, com a adoção de um dos conceitos mais modernos e mais usados no mundo. O ganho para todos os envolvidos é muito significativo, não só em segurança operacional, mas também em vantagem competitiva. “Para as empresas auxiliares, por exemplo, ter informações antecipadas dos parceiros sobre voos em atraso, situações anormais, permitirá a manter uma operação muito mais eficiente em solo.”

 

Em todo Brasil, existem hoje 122 ESATAS (Empresas Auxiliares do Transporte Aéreo) e juntas geram 31.800 empregos diretos. Em todo mundo, 50% dos serviços auxiliares do transporte aéreo são realizados por empresas especializadas (ESATAs). No Brasil, ainda estamos em 30%. ​Mais informações em www.abesata.org

Fonte: ABESATA - Associação Brasileira das Empresas
de Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo

20 de setembro/2017

 

Grupo chinês assume como principal acionista do Aeroporto do Galeão

A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) aprovou, nessa terça-feira (19/9), o pedido para a modificação da composição acionária do grupo controlador do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, Riogaleão. A chinesa Hainan HNA Infrastructure, conhecida como HNA, assume como principal acionista no lugar da Odebrecht, com 51% das ações privadas do consórcio, que conta com a participação de 49% da Infraero.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para a análise do processo, a concessionária teve que comprovar para a Anac o cumprimento dos requisitos de qualificação jurídica, fiscal e econômica da empresa chinesa, bem como o compromisso de cumprir todas as cláusulas do contrato de concessão.

 

Com a aprovação pela agência, cabe à HNA assinar o termo aditivo para formalizar a entrada no consórcio. O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), no início de agosto, deu parecer favorável para a entrada da empresa chinesa no aeroporto.

 

A Riogaleão também foi autorizada a reprogramar o pagamento das contribuições fixas anuais (outorga fixa) dos próximos anos. Com isso, a concessionária vai antecipar o pagamento de cerca de R$ 1,9 bilhão, em duas parcelas a serem pagas em dezembro de 2017 e junho de 2018, respectivamente. Com isso, o consórcio terá uma carência de quatro anos no pagamento da parcela fixa anual e um aumento gradativo nos anos seguintes.

 

Além disso, o novo acionista precisará quitar a parcela pendente referente à outorga fixa de 2017, no valor de cerca de R$ 971 milhões, acrescido de juros e multa moratória.

 

Também nessa terça-feira, a diretoria da Anac aprovou o pedido de alteração do contrato de concessão do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo (SP). O pedido do consórcio foi para alterar os pagamentos de outorga fixa anual, assim como fez o grupo Riogaleão.

 

Com a aprovação do pedido, a GRU Airport, concessionária do aeroporto, vai antecipar o pagamento de R$ 319,6 milhões, além de quitar o valor pendente de mais de R$ 883 milhões – acrescidos de juros moratórios – referentes à outorga de 2017.

 

A possibilidade de celebrar aditivos contratuais relativos às outorgas nos contratos de parceria no setor portuário está prevista na Portaria nº 135 do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil e na MP 779, enviada ao Congresso Nacional.

Fonte: Agência CNT de Notícias

12 de setembro/2017

 

XTI terá lançamento inédito na NBAA-BACE 2017

XTI to launch TriFan 600 at NBAA with one third-scale mock-up

XTI Aircraft will formally launch the TriFan 600 vertical take-off and landing (VTOL) aircraft at the National Business Aviation Association convention and exhibition in October, where it plans to unveil a one-third-scale mock-up of the new design.

 

"This will be our first public outing at a business aviation event," says XTI chief executive Robert LaBelle of the largest annual industry gathering that will be held from 10-12 October in Las Vegas. "We made a brief appearance at the Paris air show in June with a small model of the TriFan, and got an amazing response. At NBAA we hope to increase awareness of this revolutionary product."

 

The start-up, based in Denver Colorado, began developing the TriFan in 2013, with the aim of creating an aircraft with business jet-like speed and the take-off and landing performance of a helicopter.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

XTI Aircraft

 

The six-seat type was originally designed with two Honeywell HTS900 twin-turboshaft engines, gearboxes and driveshafts, but XTI switched to hybrid-electric propulsion and a smaller single turbofan earlier this year in an effort to reduce the TriFan's weight and production costs. It has teamed with US engineering firm Bye Aerospace to develop the new system, which will have a turbine-driven generator, batteries and motor.

 

Finance for the project is being drawn from XTI founder and chairman David Brody, private equity investors and crowd-funding stakeholders.

 

LaBelle will not disclose how much XTI has raised so far across its funding initiatives, but he admits the money secured has enabled the company to make "great strides in the engineering effort" and in developing the first flying prototype, which XTI plans to fly in around 12 months. "To make best use of the funding, this will be a 60% scale aircraft," says LaBelle. "A full-scale prototype will enter the flight test programme within two years."

 

LaBelle calls the TriFan "a major breakthrough in aviation and air travel".

 

The six-seat type has a projected speed of 300kt (555km/h), a range in VTOL mode of 670nm (1,240km), and 1,200nm in conventional take-off and landing mode.

 

In June XTI, secured a launch customer for the TriFan following an order for three units from what LaBelle describes as a "globally recognised international operator". The company, which may be umasked at NBAA, intends to use its aircraft for cargo, VIP and utility missions, says LaBelle.

Fonte: Flight International - Kate Sarsfield

18 de agosto/2017

 

Conheça o jato executivo mais caro do mundo, que custa R$ 200 milhões

Avaliado em R$ 200 milhões e capaz de ultrapassar 1000 km/h, o jato executivo Global 6000 encanta pelo estilo e pelo que oferece aos seus tripulantes. A aeronave é capaz de viajar sem paradas para abastecimento de São Paulo a Madrid, na Espanha. Saiba mais!

17 de agosto/2017

 

Fabricantes de aviões executivos estão mais otimistas com sinais de melhora da economia

Assista ao vídeo da Globo News com Gustavo Teixeira (diretor de vendas da Embraer) e Rodrigo Pessoa (vice-presidente de vendas da Dassault).

17 de agosto/2017

 

Setor de aviação executiva prevê recuperação

Retomada do segmento, contudo, deve ser lenta; vendas caíram até 90% nos últimos dois anos.

17 de agosto/2017

 

Setor de aviação executiva prevê recuperação após ter ficado praticamente parado nos últimos dois anos

O mercado de aviação executiva no Brasil começa a sentir os primeiros sinais de recuperação, ainda que de forma lenta. Um dos termômetros é a presença de um maior número de aeronaves na LABACE, maior feira do setor da América Latina, que termina hoje em São Paulo.

17 de agosto/2017

 

Agropecuária alavanca as vendas do setor de aviação executiva

Por outro lado, as indústrias da construção civil e de óleo e gás praticamente deixaram de ser clintes. (exclusivo para assinates do site Exame)

17 de agosto/2017

 

Termina hoje a LABACE, maior feira de aviação executiva da América Latina

Termina hoje (17/08) a LABACE, maior feira de aviação executiva da América Latina, a segunda maior do mundo. Com 130 marcas e 47 aeronaves expostas, a 14ª LABACE vem sendo um sucesso, segundo os expositores.

17 de agosto/2017

 

LABACE termina nesta quinta-feira, dia 17 de agosto

Mais de 130 marcas expostas e uma área estática com 47 aeronaves; maiores players da aviação mundial estão na feira.

17 de agosto/2017

 

Setor de aviação executiva prevê recuperação

Após ter ficado praticamente parado nos últimos dois anos, o mercado de aviação executiva no Brasil começa a sentir os primeiros sinais de recuperação, ainda que de forma lenta. Um dos termômetros é a presença de um maior número de aeronaves na LABACE, maior feira do setor da América Latina, que termina hoje em São Paulo.

17 de agosto/2017

 

LABACE termina nesta quinta-feira, no início da noite

A maior feira de aviação executiva da América Latina e a 2a do mundo teve participação de 130 marcas e exposição de 47 aeronaves. Termina logo mais às 19 horas, a 14ª LABACE, maior feira de aviação executiva da América Latina, a segunda maior do mundo. Com 130 marcas e 47 aeronaves expostas, a feira alcançou amplo sucesso, segundo os expositores.

16 de agosto/2017

 

Mercado de jatos reascende após a crise

O exclusivo mercado de jatos executivos viu uma oportunidade para não deixar encolher um nicho que é pequeno por natureza: investir em clientes dispostos a comprar aviões menores.

16 de agosto/2017

 

Veja destaques da LABACE, maior feira de aviação executiva da América Latina

O Falcon 8X é o mais recente lançamento da francesa Dassault. O jatinho avaliado em US$ 57,5 milhões (R$ 181 milhões) pode voar de São Paulo a Moscou sem escalas.

16 de agosto/2017

 

Jatos executivos em exposição em SP têm caviar, cama e Netflix a bordo

Maior feira de aviação executiva da América Latina, a LABACE reúne no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, alguns dos mais luxuosos jatos e helicópteros executivos do mundo. São cerca de 45 aeronaves em exposição.

16 de agosto/2017

 

São Paulo recebe maior feira de aviação executiva da América Latina

Após auge da crise financeira, setor vive a expectativa da retomada do crescimento e enxerga no evento a oportunidade de novos negócios.

15 de agosto/2017

 

LABACE 2017 começa hoje, às 10h30, e cerimônia de abertura traz autoridades políticas e aeroportuárias

Para a LABACE deste ano, estão confirmadas empresas como a Bell Helicopter, Bombardier, Cessna, Dallas Airmotive, Dassault, Embraer, Gulfstream, Helibras, Jetex, Líder Aviação / Honda Aircraft, Pilatus / Synerjet, Tam Aviação Executiva, Textron, World Fuel Services, entre outras.

15 de agosto/2017

 

Galeria de Vídeos – Vejam o primeiro dia da LABACE 2017

Caros amigos da Veloxtv, a seguir apresentamos alguns vídeos do que de melhor aconteceu no primeiro dia da LABACE 2017. O evento acontece no antigo hangar da Vasp no aeroporto de Congonhas (Av. Washington Luis, 6000).

15 de agosto/2017

 

LABACE '17 Opens with Calls for 'Resilience and Recovery'

LABACE 2017 opened with declarations of the resilience and recovery of the Brazilian business avation market. The star of show, the principal ribbon-cutter, was the founder of Embraer, Ozires Silva, still a visionary at 86 years of age. Speaking of Embraer just before the opening he told AIN, “The reality has exceeded the dream.”

14 de agosto/2017

 

LABACE 2017 começa amanhã com grande cerimônia de abertura

Mais uma vez a LABACE será realizada no Aeroporto de Congonhas (com acesso pela Avenida Washington Luís, altura do número 6000), com área estática para exposição de aeronaves, e a área interna com estandes, para as empresas do setor apresentarem as novidades ao mercado.

14 de agosto/2017

 

LABACE 2017 começa nesta terça-feira com 47 aeronaves

Feira é a segunda maior do mundo e, para esta edição, contará com 47 aviões e helicópteros expostos.

14 de agosto/2017

 

LABACE 2017 começa amanhã com cerimônia de abertura, além de autoridades políticas e aeroportuárias

Começa amanhã (15/08) a Latin American Business Aviation Conference & Exhibition, também conhecida como LABACE, a maior feira de aviação executiva da América Latina. Em sua 14ª edição, a feira terá 47 aeronaves expostas e mais de 130 marcas no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (Avenida Washington Luís, altura do número 6.000).

14 de agosto/2017

 

Feira de aviação LABACE começa nesta terça-feira (15)

Na sua 14º edição, a feira terá 47 aeronaves expostas e mais de 130 marcas no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

14 de agosto/2017

 

LABACE 2017 começa amanhã, às 10h30, e cerimônia de abertura traz autoridades políticas e aeroportuárias

Entre as autoridades aeroportuárias estão, além do presidente da Infraero, o presidente do Conselho Administrativo da ABAG, Leonardo Fiuza, presidente do Galeão, Luiz Rocha, o secretario nacional da Aviação Civil, Dario Rais Lopes e Ricardo Bezerra, diretor da ANAC.

14 de agosto/2017

 

LABACE 2017 começa amanhã com grande cerimônia de abertura

Começa amanhã (15.08) a LABACE (Latin American Business Aviation Conference & Exhibition), maior feira de aviação executiva da América Latina. Em sua 14a edição, a feira terá 47 aeronaves expostas e mais de 130 marcas no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (Avenida Washington Luís, altura do número 6.000).

14 de agosto/2017

 

Na 14a edição, LABACE 2017 começa nesta terça, 15 de agosto

A cerimônia de abertura terá inicio às 10h30 no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo; exposição das 47 aeronaves será a partir das 12h. A LABACE (Latin American Business Aviation Conference & Exhibition), maior feira de aviação executiva da América Latina e segunda do mundo começa nesta terça a sua 14ª. edição. A feira funcionará nos dias 15, 16 e 17 de agosto.

14 de agosto/2017

 

Crise reduz frota de aeronaves

Assim como outros setores da economia nacional que foram afetados pela crise, o segmento da aviação geral (serviços não operados pelas companhias aéreas) enfrentou um encolhimento de 0,27% em sua frota no ano passado, de 15.290 aeronaves disponíveis em 2015 para 15.249 unidades em 2016. Ainda que pequena, a redução da frota reflete o desempenho da economia já que boa parte do setor utiliza essas aeronaves para se locomover a negócios.

10 de agosto/2017

 

Infraero abre licitação para construção de megaloja em área da LABACE em Congonhas

Se o negócio se concretizar, maior feira de aviação de negócios da América Latina perderá parte do espaço que ocupa hoje e terá de se reestruturar.

10 de agosto/2017

 

LABACE terá recorde de aeronaves expostas neste ano

"Esse ano, teremos o maior número de aeronaves da história da feira", confirmou o presidente da Abag e da Tam Aviação Executiva, Leonardo Fiuza. Na última edição, em 2016, foram mais de 40 aeronaves, entre aviões, helicópteros, jatos e outros. Para este ano, serão 45.

10 de agosto/2017

 

Licitação de "megaloja" em CGH não deve afetar LABACE

Antigo espaço que abrigava a Vasp, a esquina da Avenida Washington Luiz com a Rua Tamoios pode se tornar uma 'megaloja' anexa ao Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A licitação da Infraero, no entanto, não deve afetar a localização da feira LABACE, realizada justamente naquela área, caso a concessão realmente saia do papel.

10 de agosto/2017

 

LABACE To Mark 15th Anniversary Amid Economic Turmoil

The Latin American Business Aviation Conference and Exhibition (LABACE), to be held Aug. 15-17 in Sao Paulo, will celebrate its 15th year amid a “schizophrenic” business aviation market, an analyst ...

4 de agosto/2017

 

LABACE celebra seus 15 anos com canal de TV

Mais que apresentar as tendências e os lançamentos da aviação executiva, a LABACE – considerada a maior feira do setor na América Latina, que acontece entre os dias 15 e 17/08 – no Aeroporto de Congonhas, inova mais uma vez. E para comemorar seus completar 15 anos, a organização do evento criou a TV LABACE, em parceria com o empresário e apresentador paulista Otavio Neto – que comandará o canal de televisão para apresentar as novidades e os bastidores do evento.

ABAG - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AVIAÇÃO GERAL

Rua Coronel Tobias Coelho, 147  Aeroporto  Cep: 04357-070  São Paulo  SP  Tel.: +55 (11) 5032-2727  Fax +55 (11) 5031-1900

Comunique-se conosco, envie um e-mail com suas perguntas ou sugestões clicando aqui.