1 – Boeing e Embraer anunciam criação de nova empresa avaliada em US$ 4,75 bilhões

Fabricante norte-americana de aeronaves deve pagar US$ 3,8 bilhões pelos 80% do novo negócio, que reúne toda a aviação comercial da Embraer; brasileira deterá os 20% restantes.
29 de julho de 2018
boeing_embraer.jpg
Fabricante norte-americana de aeronaves deve pagar US$ 3,8 bilhões pelos 80% do novo negócio, que reúne toda a aviação comercial da Embraer; brasileira deterá os 20% restantes.

A Boeing e a Embraer anunciaram nesta quinta-feira (5) que assinaram um acordo para formar uma joint venture (nova empresa) naárea de aviação comercial da companhia brasileira, avaliada em US$ 4,75 bilhões. Nos termos do acordo, a fabricante norte-americana de aeronaves deterá 80% do novo negócio e a Embraer, os 20% restantes.

 

ENTENDA por que as gigantes da aviação estão unindo forças

As operações e serviços de aviação comercial da Embraer foram avaliados em US$ 4,75 bilhões. A Boeing deve pagar US$ 3,8 bilhões pelos 80% de propriedade na joint venture.

 

Joint venture é uma empresa criada a partir dos recursos de duas companhias que se unem e dividem seus resultados (lucros e prejuízos).

 

A parceria deve entrar nos resultados da Boeing por ação no início de 2020 e deve gerar uma sinergia anual de custos estimada em cerca de US$ 150 milhões, sem considerar impostos, até o 3º ano.

 

“O acordo não-vinculante propõe a formação de uma joint venture que contempla os negócios e serviços de aviação comercial da Embraer, estrategicamente alinhada com as operações de desenvolvimento comercial, produção, marketing e serviços de suporte da Boeing”, dizem as empresas em comunicado.

 

Segundo as companhias, uma vez consumada a transação, a joint venture na aviação comercial será liderada por uma equipe de executivos sediada no Brasil, incluindo um presidente e CEO. A Boeing terá o controle operacional e de gestão da nova empresa, que responderá diretamente a Muilenburg.

 

Aviação militar e executiva

À Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Embraer esclareceu por comunicado que as demais divisões da companhia, incluindo defesa e jatos executivos, não serão separadas para nova sociedade e seguirão sendo desenvolvidas pela Embraer.

 

Negócio naárea de defesa

Além da joint venture, as empresas também irão criar outro negócio para novos mercados e aplicações para produtos e serviços de defesa, em especial o avião multimissão KC-390, a partir de oportunidades identificadas em conjunto.

 

“Os investimentos conjuntos na comercialização global do KC-390, assim como uma série de acordos específicos nasáreas de engenharia, pesquisa e desenvolvimento e cadeia de suprimentos, ampliarão os benefícios mútuos e aumentarão ainda mais a competitividade da Boeing e da Embraer”, disse em comunicado o vice-presidente executivo Financeiro e de Relações com Investidores da Embraer, Nelson Salgado.

Veja aqui os números das empresas

 

FONTE: G1 por Taís Laporta

Leave a Reply

Your email address will not be published.


Sobre

A Associação Brasileira de Aviação Geral (ABAG) foi criada com o intuito de defender e promover os interesses de pessoas e organizações que operem aeronaves como forma de apoio a seus negócios de forma í­ntegra e profissional, angariando o reconhecimento da sociedade e do governo como seu legí­timo interlocutor.



© ABAG 2020 . www.abag.org.br . Todos os direitos reservados



Endereço

Rua Baronesa de Bela Vista, 411- Cond. CGH Aeroporto Office, salas 503, 504 e 505. Vila Aeroporto, São Paulo/ SP, 04.612-001- Brasil

+55 (11) 5032-2727

+55 (11) 5032-2727

Redes Sociais:

Linkedin

Twitter

Facebook

Instagram

Newsletter